Giuseppe, Ottaviani, Muito, Você, Música
 

Publicidade Interna

Banner

Inscreva-se em nosso CANAL no YouTube

DJSound-Tube2

>> youtube.com/djsoundmag <<

Erro
  • Unable to load Cache Storage: utf-8
  • Unable to load Cache Storage: utf-8
  • Unable to load Cache Storage: utf-8
  • Unable to load Cache Storage: utf-8
  • Unable to load Cache Storage: utf-8
  • Unable to load Cache Storage: utf-8
Giuseppe Ottaviani entrevista com astro da música Trance e flagrantes Jovem Pan e apresentação Clash SP PDF Imprimir E-mail
Escrito por Mariela Gregori   
Ter, 18 de Agosto de 2015 23:20

Os brasileiros presenciaram a performance live (show ao vivo), do italiano Giuseppe Ottaviani, 37 anos, um astro da música Trance em ascensão, no evento Trance In Brazil – TIB, que aconteceu no sábado 15 de agosto no Clash Club na capital paulista.

Quem disse que a vida é fácil para um artista?!

Para chegar ao Brasil o italiano saiu de sua casa a uma hora do aeroporto de Roma, trocou de vôo em Munique na Alemanha antes do desembarque em São Paulo neste sábado, numa maratona com mais de 12 horas.

Isso sem falar na volta pós-show onde chegou no hotel as 6 horas da manhã, dormiu por uma hora até sair do hotel as 8h rumo ao aeroporto devido ao seu vôo para Buenos Aires (que partiu as 11h da manhã), onde tocou na tour mundial do Festival Future Sound Of Egypt, evento criado pela dupla Aly & Fila.

Ao chegar em São Paulo na manhã de sábado, foi para o hotel onde tomou café da manhã e foi logo tomar um banho rápido, dormir... bem isso ele fez por apenas três horas.

No final do dia enfrentou uma maratona de entrevistas incluindo o programa Dance Paradise da Radio Jovem Pan que será transmitido por satélite para todas as filiadas da rádio em breve (DJ Sound avisará); além da DJ Sound TV e Full Mix da All TV.

Antes de fazer o soundcheck no club, ele preferiu jantar comida japonesa uma de suas preferidas a goles de caipirinha de limão com base de saquê.

Ele gostaria de conhecer mais o Brasil e isso ficará para outra oportunidade com mais dias para poder desfrutar da cidade, mas acabou tendo contato com a nossa Avenida Paulista o maior coração de negócios da América Latina.

Tocar toda semana por vezes torna difícil conhecer os lugares.

Ele vem percorrendo o caminho da produção musical desde 2001, do início com a dupla Nu-NRG apadrinha por nomes graúdos como Armin Van Buuren e Paul Van Dyk, atravessou os anos e manteve-se como um dos mais atuantes no segmento, acumulando prêmios.

Entre suas ultimas produções está o remix de “Lights” de Paul Van Dyk com a voz de Sue McLaren.

Giuseppe Ottaviani no Brasil

As apresentações de Giuseppe são únicas, pois ele interage com o público e faz improvisações ao vivo, ou seja é para ver e ser ouvido, e não se repete numa próxima, o que deixa um ar de exclusividade valorizando sua atuação nos vários países.

Em São Paulo não foi diferente e ele tocou por duas horas improvisando muito ao vivo encerrando o set com um medley de “Hey Boy, Hey Girl”, que ele fez no final de 2014 e vem permeando algumas de duas apresentações com sucesso arrebatador por parte do público.

Giuseppe Ottaviani no Brasil

A Chilli Beans e Urban Zoo,  disponibilizaram ingressos para venda física na flagship da Chilli Beans na Oscar Freire, na região dos Jardins em São Paulo.

No dia do evento outra novidade é uma fila exclusiva para quem comprou os ingressos antecipados.

O público ainda pode levar a sua comanda personalizada com o lay-out do evento para casa como recordação.

DJ Sound foi media partner do evento numa série de eventos especiais que estamos apoiando em comemoração aos 25 Anos de atividades da DJ Sound neste ano de 2015.

Confira as notícias e novidades do Trance In Brazil – TIB nos links:

Facebook: https://www.facebook.com/tranceinbrazil

Instagram: @tranceinbrazil

A DJ Sound conversou com Giuseppe numa entrevista exclusiva feita por Mariela Gregori onde, ele fala pela primeira vez aos brasileiros sobre o fim do Nu-NRG, além de adiantar em primeira mão que esta preparando o primeiro álbum do seu projeto live Pure, ao lado de Richard mais conhecido como Solar Stone.

Ouça o remix de Giuseppe Ottaviani para Paul Van Dyk no link:

1) Qual foi a razão do término da dupla Nu-NRG?

Giuseppe  Ottaviani - Foi o primeiro projeto que tive, e foi o que me trouxe aqui. Infelizmente não deu certo, não foi tudo tão lindo como deveria ter sido, mas acabou em 2005.

2) No Nu-NRG vocês compunham juntos?

Giuseppe  Ottaviani - Esse foi o projeto que me permitiu assinar com a label de Paul Van Dyk e construir minha carreira. Mas como eu disse o projeto acabou em 2005, há muito tempo.

3) Quem foi o criador do projeto Pure Live? Vocês pretendem lançar algum álbum no futuro?

Giuseppe  Ottaviani -  Eu estava na Austrália com Solarstone e nosso manager, nós dividimos o mesmo manager, e tivemos essa ideia de ter um live act juntos. O Solastone é um cara que costumava ter banda, é aquele cara que toca teclado e instrumentos ao vivo, e ele é o parceiro perfeito. E viemos com esse nome por causa da marca do Solartone “Pure Trance” e meu antigo projeto “Nu-NRG” e assim juntamos os dois e criamos o “Pure NRG” e foi divertido, na verdade está sendo muito divertido. 

Sobre este novo projeto, vocês pretendem lançar algum single ou álbum no futuro?

Giuseppe  Ottaviani - Sim, nós estamos trabalhando nisso, não em um álbum, porque está muito cedo, mas também não queremos fazer muitos releases na verdade. Mas estamos trabalhando em algo novo, e isto estará em nossas páginas do Facebook e Twitter como notícias oficiais, eu não estou permitido a dizer muito sobre o assunto.

4) Como você se vê na cena eletrônica daqui 5 anos?

Giuseppe  Ottaviani - Meu sentimento é de que continuarei trabalhando, atingir meu objetivo, o qual não sei bem qual é, mas é continuar fazendo mais e mais e melhor. Bom, eu amo fazer o que faço, meu trabalho, as pessoas ao redor disto e é ótimo poder dividir minha música com tantas pessoas ao redor do mundo. Eu não estou querendo ser um dos 100 Top DJs, eu apenas desejo continuar fazendo música ao redor  do mundo e fazendo as pessoas felizes.

5) Depois de ganhar tantos prêmios relacionados a música trance tem algum prêmio que você almeja?

Giuseppe  Ottaviani - “Grammy Award?!”! Bom, é muito, mas temos sempre buscar mais e nunca um nível abaixo, mas não é um objetivo, como disse antes, apenas pretendo continuar fazendo minha música, que é o que amo fazer, e se vier algum prêmio eu irei ficar muito feliz em receber. 

6) Qual é o maior desafio em tocar ao vivo?

Giuseppe  Ottaviani - Tocar ao vivo não é como apenas mixar uma música atrás da outra e fazer a seleção das músicas, que é o que os DJs fazem.

Eu costumava ser um DJ quando usávamos discos de vinil, mas não me atrai tocar hoje com CDs, honestamente este não é o ponto.

Meu ponto é que eu sou um produtor e gosto de fazer música e assim, vou ao palco e faço a música, é mais do que apenas tocá-la, ter com você seu teclado e tocar ao vivo o torna diferente, você pode improvisar, coisas que DJs não podem fazer muito, pois o trabalho deles é mais colocar efeitos e mixar, então o grande lance disso para mim é que eu posso mudar a melodia da música se eu quiser, dependendo do que eu sinto, da reação do público.

Se eu estou me divertindo tenho quase certeza que o público também está.

7) Você já respondeu em parte, mas minha próxima pergunta seria sobre se você improvisa muito quando está tocando ou se você vem com um setlist pronto e vai fazendo mudanças de acordo com o público?

Giuseppe  Ottaviani - Sim, é muito do que eu faço, improviso muito. Uma performace nunca será igual a outra, porque você se sente diferente e você faz coisas diferentes e as vezes você tem uma melodia que vem a sua cabeça e você simplesmente toca.

Como exemplo, há algumas semanas “Robert Miles – Children” veio a minha cabeça no meio do show e eu fiz um “break down” e toquei ela.

Eu me sinto livre, como disse antes, tocar ao vivo é muito mais divertido do que mixar, o que as vezes tenho que fazer, mas aí é uma história diferente.

8) Qual sua expectativa em tocar no Brasil pela primeira vez?

Giuseppe  Ottaviani - Me levou um tempo  a perceber que estaria indo ao Brasil pela primeira vez, mas também tem outro lugar que gostaria muito de ir que é o Japão.

Não sei o que esperar.

Quando vou pela primeira vez a um lugar não sei muito o que esperar.

Ví nas midias sociais pessoas falando sobre isso, mas realmente não sei muito o que esperar.

Quando vou a Austrália, Reino Unido, Alemanha já sei o que esperar.

Mas estar em um lugar onde nunca estive antes me deixa sem saber o que esperar, mas vamos ver.

colaborou Gonçalo Vinha

Giuseppe Ottaviani no Brasil

Giuseppe Ottaviani na Clash SP

Giuseppe Ottaviani no Brasil

crew Giuseppe Ottaviani na Clash

Giuseppe Ottaviani no Brasil

Público curtindo Giuseppe Ottaviani na Clash SP

Giuseppe Ottaviani no Brasil

Mariela Gregori, Gonçalo Vinha e Giuseppe Ottaviani na Jovem Pan

Giuseppe Ottaviani no Brasil

Giuseppe Ottavini na Jovem Pan

Giuseppe Ottaviani no Brasil

Ottaviani com DJ Gabiru Jovem Pan

Giuseppe Ottaviani no Brasil

Giuseppe Ottaviani no Brasil

Gonçalo Vinha e Giuseppe Ottaviani

Giuseppe Ottaviani no Brasil

Giuseppe Ottaviani no Estúdio Jovem Pan

Última atualização em Qua, 19 de Agosto de 2015 21:17
 

Revista Digital Online

Conecte-se

Busca no site

Mídia: Mag / Portal

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

BACKSTAGE - Marcelo Barres

Sobre o Autor
 
Marcelo Barres é um experiente profissional no ramo da Dance Music, aposta sempre na House com influência da Disco Music em versões atuais nos seus sets. Alterna sua agenda com noites em diversas festas que coordena junto ao escritório da Alê Soares Produções, e Clubs onde participa como DJ convidado. Semanalmente se apresenta no programa Comando 97 (Energia 97 FM), aos sábados, 1h da manhã. Formado em Rádio-TV, Barres usa este conhecimento com novas tecnologias, onde trabalha o audio-visual em seus sets através de softwares para VJs e videoclips em versões extended, produzidas em seu home-stúdio e que criam efeito integrado de música e imagem.